Gostou? Compartilhe

A estreia acontece HOJE nos cinemas (06 de Setembro)

 “A Freira“,  leva o público em uma jornada e uma aventura na escuridão, “com os personagens enfrentando seus demônios e dúvidas pessoais”.

Confesso que sou fã da saga  Invocação do Mal ( James Wan , 2013 e 2016) e que A Freira (Valak) me impressionou na segunda parte: Invocação do Mal 2. Mas todo o mistério e força que a personagem teve nesse filme é perdido em seu  Spin-Off:  A Freira, que chega nesta sexta-feira aos cinemas. Uma sucessão de sustos, sem qualquer lógica que nos lembra mais uma vista da passagem de terror  do que um filme, e em que o mais interessante é a tentativa de descobrir qual lado da tela que o demônio religioso vai nos assustar.

Uma nova tentativa não conseguiu explorar a franquia,  como aconteceu com os dois filmes de Anabelle  (2014 e 2017) que não estavam à altura da saga original. Embora eles fossem mais sólidos que este.

E é uma pena, porque  o personagem é muito forte e até mesmo história que são apresentada ao redor é boa, mas  tudo está estragado no festival de sustos que só procura para desencadear a nossa adrenalina, sem se preocupar com o desenvolvimento do enredo. Embora deva ser reconhecido que a excelente produção e ambiente obtêm uma atmosfera muito agitada.

Um filme para gostar de comer pipoca e tentar assustar o amigo da primeira vez que a música soa.E agora,  não me lembro de um filme com mais choques do que este. Convenientemente destacado, sim, pela trilha sonora. 

A origen da freira

O filme nos conta a origen do espectro da freira que atormentou Ed e Lorraine Warren no excelente Invocação do Mal 2. O enredo começa, nos anos 50 do século passado, quando uma freira comete suicídio em uma abadia de clausura na Romênia, em circunstâncias estranhas. Para investigar o ocorrido, o Vaticano enviará um padre com experiência em casos demoníacos ( Demian Bichir ) e um novato ( Taissa Farmiga ) que está prestes a fazer seus votos.

O casal viajou para o convento (com homenagem ocasional para Drácula  de Bram Stocker, por sinal), e juntos eles investiga o mistério que vai descobrir o passado demoníaco atormentando a abadia,  se transformou em um campo de batalha entre o céu e inferno, entre o bem e o mal . Ambas são as únicas coisas que podem salvar o mundo da freira e suas hostes demoníacas.

Destaque o trabalho dos atores , que dão credibilidade aos personagens que interpretam impecávelmente. E todos os aspectos técnicos do filme, atmosfera, fotografia, efeitos especiais … que contribuem para um espetáculo brilhante. O problema é, mais uma vez, a falta de roteiro que transforma o filme em  uma sucessão insubstancial de sustos, embora alguns sejam originais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.