Congelamento de óvulos: uma opção para quem deseja engravidar mais tarde

Especialista em Reprodução Humana esclarece dúvidas comuns para quem quer engravidar após os 35 anos

Foto/Reprodução

Quantas vezes já ouvimos de mulheres aquela frase: “desejo ser mãe, mas não agora”. É sabido que a maternidade ainda faz parte do sonho da maioria das mulheres, porém atualmente especialistas em reprodução humana se deparam com uma mudança no perfil feminino em seus consultórios. E isso tem a ver com a idade para que a maternidade aconteça.
Antigamente, mulheres entre 20 e 30 anos já estavam com suas famílias praticamente formadas, com suas casas, maridos e filhos nos braços. Mas hoje em dia, elas desejam engravidar mais tarde; a grande maioria depois dos 35 e algumas só depois dos 40 anos.

E como fazer para preservar essa fertilidade, já que o relógio biológico não acompanha as prioridades e os desejos da mulher moderna? Como deve fazer a mulher que deseja ser mãe, mas “não agora”?

Graças à ciência, essas mulheres que priorizam suas carreiras, viagens, estabilidade financeira e emocional ou até a chegada de um parceiro ideal contam com um super aliado: o congelamento de óvulos.

O congelamento de óvulos preserva a fertilidade da mulher que opta por ter filhos mais velha e traz uma tranquilidade para que ela organize sua vida e não tome um susto no momento em que desejar engravidar.

“Os óvulos das mulheres envelhecem e diminuem com passar dos anos, portanto o ideal seria que elas engravidem antes dos 30, ainda bem jovens, porém sabemos que a busca pela maternidade tardia é uma realidade atual. Então o ideal é que a mulher que queira preservar sua fertilidade para ser mãe mais tarde busque um especialista até os 35 anos e faça o congelamento de óvulos”, explica a médica Rosane Rodrigues, especialista em Reprodução Humana da Invita Medicina Reprodutiva, em São Paulo.

As brasileiras, de modo geral, estão optando cada vez mais em postergar uma gestação e isso fez aumentar muito a procura por congelamento de óvulos nas clínicas de reprodução em 2018.

É importante dizer também que além das mulheres que desejam uma maternidade tardia, o congelamento preserva a fertilidade de mulheres com problemas de saúde que necessitam de quimioterapia: “as mulheres que vão passar por processo de quimioterapia, por exemplo, e que desejam ser mães após a cura de um câncer, devem procurar congelar seus óvulos antes do início do tratamento”, ressalta a médica.

LEIA TAMBÉM:  A saúde integrativa a favor da beleza

Congelamento de óvulos deveria ser um assunto conversado com um médico de confiança em consultas de rotina, mas muitas vezes isso não acontece, o que acaba gerando uma série de dúvidas a respeito do assunto.

Mas afinal, como é feito o tal congelamento? Quem pode fazer? Como é o processo? Até que idade é possível congelar óvulos?

São tantas perguntas, que a Dra. Rosane Rodrigues resolveu esclarecer algumas das mais comuns feitas a ela durante as consultas:

1 – Até que idade posso congelar meus óvulos?

Os 35 anos é uma idade importantíssima para a fertilidade feminina. É a partir desta idade que a reserva ovariana diminui drasticamente e os óvulos começam a “envelhecer”. O ideal é que o congelamento seja feito antes dessa idade para que possamos ter uma boa resposta ovariana e melhor qualidade oocitária, tendo assim maiores chances de sucesso no momento de fertilizá-los. Entretanto, não há data limite para o procedimento. Isso deve ser conversado com o especialista responsável, que analisará os exames prévios e decidirá a melhor opção para a paciente.

2 – Passei dos 35. Ainda dá tempo de congelar óvulos?

Sim. Não há data limite para o congelamento de óvulos. Mas sempre lembrando que cada ano que passa, a reserva diminui mais e os óvulos vão ficando mais velhos. Por isso, quanto antes fizer, melhor será a resposta.

3 – Como é feito o processo?

Iniciamos uma estimulação dos ovários com medicamentos específicos para induzir uma maior produção de folículos (contendo os óvulos). Através de ultrassons seriados, podemos acompanhar o crescimento desses folículos e determinar o momento certo de entrarmos com outro hormônio, que ajudará a romper esses folículos, ocasionando então a liberação dos óvulos. Feito isso, partimos para a etapa da Punção de Óvulos. Este é um procedimento cirúrgico, que deve ser feito numa clínica de reprodução assistida, via vaginal e sob efeito de anestesia. Ao final do procedimento, a mulher deve ficar na clínica por algumas horas, sendo liberada no mesmo dia. O procedimento é praticamente indolor e pode dar uma pequena cólica. Após a retirada dos óvulos, eles serão avaliados por um embriologista e os melhores serão então criopreservados.

4 – O processo de congelamento é feito uma só vez?

Depende do caso. Em mulheres mais novas, conseguimos captar um número suficiente de óvulos de uma só vez. E geralmente óvulos bons, que farão diferença na taxa de sucesso da fertilização futura. Em mulheres mais velhas, acima dos 35, pode ser que sejam necessárias mais de uma vez para chegarmos a um número suficiente de óvulos bons para serem congelados.

LEIA TAMBÉM:  A saúde integrativa a favor da beleza

5 – Onde ficam esses óvulos congelados? Posso usar quando quiser?

Os óvulos ficam criopreservados e não têm data de validade. Podem ficar congelados por anos, mas o ideal é que sejam usados até os 50 anos, idade limite aconselhada pelo Conselho Federal de Medicina para a mulher engravidar. Após essa idade, os riscos para a mãe e para o bebê são muito maiores.

6 – Se eu congelar meus óvulos com 30 anos e engravidar aos 40 terei alguma dificuldade?

Muitos problemas de infertilidade feminina estão relacionadas à idade da paciente. Depois dos 35 anos a mulher passa a ter uma queda na reserva ovariana e os óvulos envelhecem, por essa razão uma mulher de 40 anos tem muito mais dificuldade em engravidar naturalmente do que uma mulher de 30 e os riscos para o bebê de uma mãe de 40 são muito maiores. Mas quando você congela os óvulos aos 30, você preserva a qualidade deles. Portanto, se engravidar aos 40 com óvulos que foram congelados aos 30, a chance de sucesso na gestação é muito alta e o risco de alteração genética do feto é muito menor.

7 – Qual médico devo procurar para fazer congelamento de óvulos?

Um especialista em Reprodução Assistida. Ele será o profissional qualificado para te dar informações e realizar o processo.

8 – Algum conselho para as mulheres sobre o congelamento de óvulos?

Eu aconselho todas que quiserem ser mães tardiamente que façam o congelamento de óvulos. Também digo para que fiquem atentas e conversem com seu médico de confiança sobre isso. Peça exames, leia bastante. Mulheres com problemas de saúde como o câncer podem optar pelo congelamento de óvulos antes do início do tratamento. Mulheres com históricos familiares de menopausa precoce ou portadoras de hipotireoidismo também precisam ficar atentas. De resto é usar a ciência a seu favor sempre.

Gostou dessas informações? Comente e diga o que achou! Acompanhe o nosso site para continuar vendo artigos como este