Conheça o Stand Up Comedy de Marcelo Di Morais

Marcelo Di Morais que Nasceu em São Paulo, formou-se em administrador de empresas, tornou-se humorista de Stand Up Comedy.

Hoje é um dos comediantes respeitados do cenário artístico e já assinou também por 4 anos a maior programação de um canal de TV na internet com 24 horas ininterruptas de programação.

Aqui vamos conhecer mas sobre MARCELO DI MORAIS no Stand Up Comedy

MESTRE DE CERIMÔNIAS: Além de humorista, Marcelo é considerado um dos mestres de cerimônias mais atuantes do Brasil. Em seu currículo, podemos destacar: Convenções, premiações, workshops, além do amplo conhecimento em mediação de debates ou talk shows.

SOLO DE STAND UP COMEDY: Com seis anos de história, Di Morais, o show solo de stand up comedy criado por Marcelo, é uma das apresentações mais conhecidas da capital paulista.

Durante cerca de 70 minutos, Di Morais faz observações irônicas e divertidas sobre qualquer assunto. Os temas das apresentações são atualizados com notícias e acontecimentos da semana em que ele se realiza, sempre abordando com muito humor as histórias que fazem parte da vida do cidadão.

STAND UP COMEDY GOSPEL: O Stand Up Comedy Gospel é uma apresentação de comédia segmentada no cenário gospel, com bom humor, histórias bíblicas e falando da vida cotidiana de forma divertida. Indicado para todo tipo de público, sem restrições de faixa etária

STAND UP COMEDY NO VINHO: O Stand UP Comedy no Vinho é um show em que Marcelo faz observações irônicas e divertidas sobre qualquer assunto atual relacionado ao mercado do vinho, pessoal, ou mesmo do dia-a-dia das pessoas. O show tem como missão proporcionar ao público uma reflexão do cotidiano e as manias da nossa sociedade, aproximando o consumidor do vinho e sua cultura.
Fatos

VINHO e GORJETA não harmonizam: Lembro quando era sommelier, que estava numa sexta em São Paulo só com R$ 70,00, para passar o fim de semana.. Daí pensei bom com R$70, vou pra casa ninguém sabe que to sem grana daí compro uns pães com queijo e refrigerante barato e passo o fim de semana.

Eis que na mesma sexta recebi um convite para um jantar degustação, e lá me vou feliz com uma nota de 20 e outro de 50 no bolso, chegando lá pra minha surpresa tudo era free, até o manobrista.

Comi muito bem, degustei grandes vinhos, até vinho para sobremesa foi servido, ao final o dono do restaurante resolveu nos agraciar abrindo uma bela garrafa de um super toscano degustarmos e claro já alto resolvi ir embora com uma amiga dirigindo meu carro, todo feliz pensei, poxa vou dá 20,00 de caixinha para o manobrista, tive um noite muito feliz, enfiei a Mão no bolso paguei a nota e dei.. Mais tarde chegando em casa já recuperado da noite, fui ver no bolso que não teria dado 20,000 e sim 50,00, ou seja, acabei mesmo de fato e de direito com o pão com refrigerante e queijo.

O FILME: O Resgate da Soldado Jéssica
Todos os meus amigos me julgam dizendo que o que assisti foi de fato um filme pornográfico.Mas posso garantir que não.
Em minha vida foram poucos filmes que assisti e tanto que consigo lembrar com detalhes o que assisti, me lembro que na época da guerra do Iraque em uma das madrugadas com controle na mão nos canais pagos eis que assisti um belo filme com o nome de “O RESGATE DA SOLDADO JESSICA”..

Sim era um enredo que está soldado fazia parte do comboio de alimentos do exército americano, e pra quem não sabe não ataca comboio de alimentos em caso de guerra, mas os iraquianos atacaram e sequestraram a soldado.

Por fim a soldado ficou sequestrada sob os cuidados médicos em um hospital e eis que uma enfermeira iraquiana se comoveu com a dor da americana e contou em casa para seu filho que era advogado.

Seu filho prontamente resolveu trair os iraquianos e entregá-la de volta ao americanos, para isso, assim que foi dado o toque de silêncio na cidade, ele resolveu sair para ser preso pelos soldados americano.
Quando isso ocorreu, ele disse que sabia onde estava a soldado e que ia levar os militares até lá.

Daí quando o comandante da operação o perguntou porque ele estava sendo tão generoso, ele responder que ele preza pela vida, mesmo que seja de americanos. Daí acabou o filme.. E nunca mais consegui assistir novamente. Juro eu assisti este filme!

Fui fazer um show em Salvador, e como pode-se perceber pelas fotos, sou gordo, porque adoro provar as comidas e guloseimas por onde passo. Passeando pela cidade, me empolguei muito a tarde com as guloseimas, e antes de show passei mal, e acabei precisando ir urgente para o hospital. Chegando lá me colocaram na maca (maior que a normal), o que já virou um evento no hospital, com todos outros pacientes olhando enquanto eu passava (inclusive, ouvi um falando: “Deve ter sido infarto”) – como se gordo só morresse de infarto – Na sequência, me levaram para o processo de triagem, onde a enfermeira, após medir minha pressão e batimentos, perguntou o que eu estava sentindo, ao que respondi “Estou com um certo desconforto na barriga, meio ofegante, um pouco de tontura, acho que eu comi um pouco demais hoje”, ela me respondeu, “HOJE ?”.

Tenho uma história muito interessante que aconteceu quando conheci a fenomenal Bibi Ferreira, da qual sou muito fã, e ela fez uma temporada no teatro Frei Caneca. Um belo dia pedi para produção do teatro para assistir mesmo que de longe o ensaio, pois me disseram que ela não gosta de plateia nos ensaios, onde sempre fica muito concentrada. Enfim consegui, ela estava como sempre muito firme e concentrada. Terminado o ensaio, eu fui lá para conhecê-la na maior cara de pau, assim me apresentaram: “Olha Bibi, este é o Marcelo, seu fã, ele é humorista”. Ela muito gentil cumprimentou-me, e eu, diante de um dos maiores expoentes de nossa cultura, fui querer puxar assunto, nossa: “Bibi parabéns, foi emocionante ouvi-la, mas conta para mim qual é o segredo de tanta jovialidade? ”, ela olhou nos meus olhos e disse “É comer pouco meu filho!!!”. O teatro veio abaixo, com todos rindo…

No Comédia com Tudo eu fazia uma pantomima de He-Man, imagina que situação, chegou uma família e a mulher criticando o marido por ter levado o filho para um show à noite, e o marido tentando explicar para a esposa e para o garoto, “filho fica tranquilo, o espetáculo tem até um He-Man, você vai gostar deste herói”. Me lembro que quando entrei no palco, a criança estava na primeira fileira, ela me olhou um tempo, virou para o pai e perguntou em voz alta, pai o He-Man era um herói ou um monstro? – Eu sem poder emitir uma palavra, me segurava para não cair na gargalhada, enquanto a plateia em volta do garoto se acabava de tanto rir.

Uma vez um contratante que era adventista, marcou para assinarmos a contratação de um projeto corporativo. Eu, para fazer uma média, levei o mesmo para almoçar, chegando no restaurante pedimos um filé de badejo. Quando o garçom saiu, ficamos na dúvida, chamei o garçom e perguntei: “rapaz o badejo é peixe de couro ou escama”? – Pois os adventistas não comem peixes de couro – o garçom falou que também não sabia, mas que iria perguntar ao chef. Passados alguns minutos, após ele ir até a cozinha, voltou com a resposta: “Rapaz, é filé viu”!

Marcelo Di Morais em resumo é muito mais que um grande humorista que ama o seu trabalho e seu público, é um homem que aprendeu com a faculdade da vida a vencer todos os desafios, sempre com muita fé e perseverança.