Educar para a Cibercultura acontece dia 17, no RJ

Marcella Albaine, autora de livro sobre cibercultura, ministra curso para professores e interessados no assunto

O “Educar para a Cibercultura” acontece no próximo dia 17, das 10h ao meio-dia, no Auditório do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, com entrada franca.

Ministrado pela Profª. Marcella Albaine, a ideia surgiu por um convite do presidente da sessão regional do RJ da ANPUH (Associação Nacional de História), Ricardo Figueiredo de Castro.

Gamificação é um dos temas abordados

Marcella ressalta que essa oficina é mais um dos projetos que acontecem como frutos dos conhecimentos adquiridos desde a sua graduação até o doutorado.

“O que hoje também se chama ‘História Digital’ é a base dos meus estudos desde então, ou seja, essa interface do ensino de História e a articulação das tecnologias digitais, pensando na educação básica, na formação de professores e por aí vai”.

Vários assuntos serão abordados, entre eles “Cultura Maker”, “Fake News”, “Gamificação” e “Uso de Memes em sala de aula”.

“A Cibercultura tem diversas temáticas possíveis de serem abordadas, mas o propósito do curso é pensar a educação de forma geral e também as especificidades das aulas de História. Ela faz parte da área de Ciências Humanas, mas ainda é muito tradicional. E a minha ideia é a de contribuir para dinamizar mais esse componente curricular, que muitos conhecem como disciplina escolar”, pontua.

LEIA TAMBÉM:  Canal no Youtube fala sobre depressão de forma leve e descontraída

Assim, professores das rede públicas e privadas, além de graduandos, mestrandos, doutorandos de História, Pedagogia e outros estudantes são esperados para esse encontro.

“Não é um curso fechado para a Educação, até porque vamos discutir o diálogo com a Comunicação, com Direito – como ao abordar as fake news, sempre articulando esse campo com outros saberes”, esclarece Albaine.

O saber é a base de tudo

A profissional lembra que a democratização do conhecimento e a defesa da educação são a verdadeira importância de oficinas como essa, que nem sempre visam lucros financeiros.

“Há também o lado social nesse tipo de evento, que é o contato com os professores e a ideia de rede, em que esses ‘links’ humanos são os pontos mais importantes nessa proposta. As pessoas conhecerem outros trabalhos feitos pelo País afora ou iniciativas no próprio bairro é algo muito rico. Por mais que tenhamos problemas políticos, estruturais e pedagógicos, há profissionais que dão a sua vida em prol de trabalhos criativos e fazem coisas fantásticas”, ressalta.

Esse projeto tem percorrido o Brasil juntamente à publicação do livro “Ensino de História e Games – Dimensões Práticas em Sala de Aula” (Editora Appris), entretanto, a oficina “Educar para a Cibercultura” acontecerá apenas no dia 17, com a possibilidade de ser adaptada nacionalmente em uma linguagem mais ampla.

LEIA TAMBÉM:  Canal no Youtube fala sobre depressão de forma leve e descontraída

Assim, também agregará a ideia de envolver aos alunos  nos pensamentos de como contribuir para um ensino mais dinâmico e uma aula diferenciada.

A inscrição é gratuita e pode ser feita AQUI.

 

Serviço:

Oficina “Educar para a Cibercultura”

Auditório do Arquivo Geral da Cidade do RJ – R. Amoroso Lima, 40 – Centro

Dia 17/06/2019, das 10h ao meio-dia

Entrada: Gratuita ou R$ 15 para quem desejar a emissão de certificado