Em entrevista ao “Melhor Da Tarde”, Cabrini revelou que o medo não o paralisa

Em entrevista para Catia Fonseca o jornalista também falou sobre governo e Ayrton Senna

Catia Fonseca e Roberto Cabrini /Leandro Teixeira

Catia Fonseca entrevistou o jornalista e apresentador Roberto Cabrini, que abriu o jogo sobre sua receita de sucesso na profissão. No bate papo, contou sobre as coberturas durante tantas guerras e ainda falou sobre ter sido o primeiro a noticiar a morte de Ayrton Senna. “Eu sabia que tinha que dar o anuncio como se fosse a morte de um ente querido do Brasil”. Além da fatalidade de seu amigo e ídolo, Cabrini também falou sobre o que espera do cenário político atual: “Nós precisamos de escolas e não de armas.”

Conhecido por suas coberturas e entrevistas exclusivas, o jornalista ainda conta que, diferente do que todos pensam, algumas situações também lhe assustam. “Todo mundo sente medo, mas o meu não me paralisa”.

Convidado a dizer frases para algumas personalidades da televisão, Cabrini afirma que o patrão, Silvio Santos, é a maior lenda da televisão brasileira. Quando questionado sobre Datena, a resposta é taxativa: “Um gênio da comunicação brasileira, um homem em perfeita sintonia com a sociedade.”

No bate papo que foi ao ar hoje, (06) as 14h, o apresentador também falou sobre o que espera do governo de Jair Bolsonaro, sua opinião sobre o ex-presidente Lula e o futuro do jornalismo.

Gostou dessas informações? Comente e diga o que achou! Acompanhe o nosso site para continuar vendo artigos como este

SIGA O ATITUDE E VISÃO NAS REDES SOCIAIS

Leia Também:

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

DESTAQUES: