segunda-feira, fevereiro 24, 2020
Filmes E Séries Hollywood & China: a nova joint venture cinematográfica

Últimas Notícias

Maysa provoca Jade em jantar árabe e ela chora em, O Clone

Nos próximos capítulos da novela "O Clone" em exibição no Canal Viva.Maysa (Daniela Escobar) irá preparar um jantar árabe para receber convidados ilustres na...

Belinha passa a ser vítima de uma farsa em, Cabocla

Nos próximos capítulos da novela "Cabocla" em exibição no Canal Viva, Neco (Danton Mello) que fique de olho aberto, pois Belinha (Regiane Alves) ficará...

Hollywood & China: a nova joint venture cinematográfica

Divulgação

Por Roney Giah

O sucesso mundial de O Tigre e o Dragão, coprodução da China e Estados Unidos, lançado em 2000 – que custou 17 milhões de dólares e teve um faturamento de 213 milhões (em valores da época) – deixou uma valiosa lição para o país asiático: a propaganda mundial da cultura chinesa por meio do audiovisual era muito mais eficaz se o país utilizasse a parceria e o know-hownorte-americano para alavancá-la. Uma outra lição igualmente valiosa foi aprendida pelos norte-americanos: o mercado bilionário chinês não podia ser menosprezado. Embora a guerra comercial China x Estados Unidos esteja, nos dias de hoje, a todo vapor, os países se recusam a inserir as coproduções sino-americanas nessa guerra. E é fácil entender o porquê dessa proteção.

Não é de hoje que filmes internacionais precisam ter edição especial – vulgo censura – para obter o aval da Administração Nacional de Rádio e Televisão Chinesa (SARFT) e entrar no farto mercado chinês, a maior bilheteria de cinema do mundo. Segundo estudo da Price water house Coopers, os cinemas chineses terão bilheteria de U$ 12.28 bilhões em 2020, comparado com U$ 11.93 bilhões dos Estados Unidos. Mas, a censura não é a única demanda da SARFT. Existe também uma taxa considerável de importação.

A brecha inteligente criada pelo governo chinês nesse sistema é que a taxa de importação é inexistente no caso de uma coprodução na qual a China seja uma das partes. Nesse caso, Estados Unidos teria as portas abertas para a maior bilheteria do mundo com isenção de imposto; em contrapartida, a China teria uma participação igualitária nos lucros em vez de uma taxa pré-fixada via imposto.

E é daí que surge um mercado cada vez mais crescente. Desde a recente aquisição da Legendary Entertainment Pelo fundo chinês Dalian Wanda Group Por 3,5 bilhões de dólares, passando pela joint-venture sino-americana da DreamWorks Animation – com empresas de investimento chinesas resultando na “Oriental DreamWorks” – até o acordo entre Alibaba Pictures e a Paramount (onde a primeira é, ao mesmo tempo, investidor e agência de marketing em território chinês), tudo isso resultou em coproduções como: A Grande Muralha, com Matt Damon e direção de Yimou Zhang; Transformers: a Era da extinção, de Michael Bay; Kung Fu Panda 3; Mega Tubarão, com Jason Statham; O Arranha-Céu, coragem sem limite, com Dwayne “The Rock” Johnson; e tantos outros como Mulher Maravilha, Missão Impossível Pacific Rim: Uprising.

Essa tendência mercadológica, que pode afrouxar a burocracia bizantina chinesa, claramente possibilita o crescimento de ambos os países. O futuro da parceria depende do quanto a guerra comercial do presidente Trump irá escalar e da China priorizar o crescimento econômico acima de sua política protecionista.

Pelo tamanho da lista de lançamentos para 2020 com coprodução sino-americana, tudo indica que ambos países pretendem continuar ampliando a parceria e os bolsos. O mercado audiovisual, cada vez mais sem fronteiras, agradece.

Gostou dessas informações? Comente e diga o que achou! Acompanhe o nosso site para continuar vendo artigos como este

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Noticias

Maysa provoca Jade em jantar árabe e ela chora em, O Clone

Nos próximos capítulos da novela "O Clone" em exibição no Canal Viva.Maysa (Daniela Escobar) irá preparar um jantar árabe para receber convidados ilustres na...

Belinha passa a ser vítima de uma farsa em, Cabocla

Nos próximos capítulos da novela "Cabocla" em exibição no Canal Viva, Neco (Danton Mello) que fique de olho aberto, pois Belinha (Regiane Alves) ficará...
6,793FansLike
15,305FollowersFollow
2FollowersFollow
1,184FollowersFollow

Mais Conteúdo Para Você