Melasma: Saiba o que é e como tratar

0
Foto/Divulgação
Foto/Divulgação

São 150 mil casos de melasma registrados no Brasil todos os anos. As manchas escuras que não representam risco para a saúde e não são contagiosas aparecem no rosto, em regiões como testa, bochecha, queixo e nariz. Apesar de menos comum, as manchas também podem aparecer em outras áreas expostas ao sol, como colo e braços.

A doença atinge em sua maioria mulheres no período fértil e é associada a fatores genéticos, exposição ao sol e hormônios femininos, mas homens podem apresentar seja pelo uso de algumas medicações, pele morena, quem tem maior exposição solar ou vive em grandes altitudes.

LEIA TAMBÉM:  4 curiosidades sobre saúde bucal

“Não há uma causa definida, mas muitas vezes esta condição está relacionada ao uso de anticoncepcionais femininos, gravidez e, principalmente, à exposição solar. O fator desencadeante é a exposição à luz ultravioleta e, até mesmo, à luz visível. Além disso, a predisposição genética também influencia no surgimento desta condição,” explica a micropigmentadora estética Danielle Furtado.

De acordo com a esteticista Natália Nascimento, o melasma não tem cura e requer o uso de protetor solar de forma contínua mesmo em dias nublados. Para a condição que afeta a autoestima há tratamentos disponíveis no mercado , “Começamos com o tratamento de dentro pra fora através de nutracêuticos específicos para o melasma e depois com microagulhamento, peeling, bbglow e outros,” explica Natália.

LEIA TAMBÉM:  Saiba quais são as cinco doenças cardiovasculares que mais podem matar

A alimentação tem um fator muito importante para a redução do quadro de melasma. Os antioxidantes dietéticos têm como finalidade suprimir os intermediários reativos gerados em mecanismos do estresse fotoxidativo, atuando especificamente como absorventes dos raios UV e/ou modulando vias de sinalização ativadas pela radiação.

A nutricionista e funcional chef, Luma Monteiro explica que o através de uma conduta nutricional que contribua, de forma complementar, para a prevenção e melhora dessa dermatose, como, por exemplo:

  • as frutas (acerola, caju, goiaba vermelha, melancia, morango, mamão, melão, pêssego, damasco, ameixa, uva, maçã, romã);
  • vegetais (brócolis, couve, couve-flor, tomate, abóbora, cenoura, pimentão, agrião, batata-doce, alface, espinafre, cebola, vagem), oleaginosas (nozes, castanha do Brasil);
  • bebidas (chá verde, suco de tomate, suco de uva integral, suco de romã);
  • óleos vegetais (girassol, milho, canola, amêndoa, linhaça, chia, azeite),
  • gérmen de trigo, cacau, grãos de cereais e seus óleos, carnes, ovos, peixes, produtos lácteos, frutos do mar, entre outros.
LEIA TAMBÉM:  Saiba quais são as cinco doenças cardiovasculares que mais podem matar

“É importante acrescentar que açúcar, frituras, embutidos, no geral são os alimentos ultra processados fazem mal para o melasma, pois causam processo inflamatório,” explica Luma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.