‘Osmosis’: almas gêmeas programadas na nova série futurista da Netflix

Deste sexta-feira, 29 de março, está disponível a nova série francesa da Netflix: “Osmosis” . Contando com oito episódios que compõem a primeira temporada, onde a busca por amor e tecnologia andam de mãos dadas.

Osmosis‘, ambientada em uma Paris futurista onde a tecnologia avançou a passos largos, e nos faz sentir em qualquer capítulo de ‘Black Mirror‘ , embora com uma diferença: a tecnologia é apresentada como uma amiga. Pelo menos, não como um inimigo destrutivo do que sabemos. Se em ‘Black Mirror’ somos convidados a refletir sobre a evolução de um ser humano quase condenado a ser destruído, em ‘Osmosis’ não há sentimentos de culpa de qualquer tipo por usar a tecnologia para ser feliz. Sim, há complicações, é claro, e também erros, porque o amor é impreciso … Mesmo quando é ciência.

Em “Osmosis” encontramos algo como o aplicativo de busca do amor definitivo.Desenvolvido por dois irmãos cuja mãe está gravemente doente, a Osmosis permite ao ser humano encontrar sua alma gêmea com base nos dados armazenados no cérebro de cada um.Então (cuidadoso, pequeno spoiler ), o primeiro episódio conclui com aqueles que se ofereceram para experimentar este experimento pela primeira vez visualizando o rosto da pessoa que deveria estar com eles para sempre.

Paul e Esther, os irmãos, são os criadores dessa invenção futurista e, entre eles, um relacionamento e uma dinâmica muito interessante se desenvolvem e ganharão força à medida que a trama avança. A busca por amor, desesperada em alguns casos, é um dos temas centrais desta série de ficção científica, mas não é a única coisa que vamos encontrar. Há segredos, há empresas, há ambição e há intenções que vão além do que podemos descobrir no primeiro episódio. Agora disponível no Netflix.

Netflix nos ofereceu, com Osmosis, a incrível chance de explorar um gênero raro na França, a ficção científica, que, nesse caso, foca na questão universal do amor perfeito”, diz a produtora Aude Albano.

“O futuro que imaginamos para Osmosis traz algumas semelhanças com o nosso presente e mistura essa busca eterna com respostas ultra tecnológicas, que ora são incrivelmente sedutoras, ora são extremamente perigosas”, diz Audrey Fouché, showrunner da série. Dirigida por Audrey Fouché, a atração reúne Hugo Becker, Agathe Bonitzer, Lena Lapres e Haviland Stillwell, entre outros atores.

Se gostou deste artigo, compartilhe com seus amigos e curta “Atitude E Visão” nas redes sociais

SIGA O ATITUDE E VISÃO NAS REDES SOCIAIS

Leia Também:

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

DESTAQUES: