Uma viagem pelo mundo das emoções e inquietações juvenis

0
Divulgação/ Editora Estrela Cultural
Divulgação/ Editora Estrela Cultural

Obra publicada pela Estrela Cultural traz aos jovens leitores reflexões sobre amizade, identidade e crescimento

A história de Íris começa às três da madrugada em meio à sua luta diária contra o sono. A garota não gosta da noite, mas ela chega, sempre chega, mesmo contra sua vontade.

Na obra infantojuvenil A menina do dia, escrita por Renata Bortoleto e publicada pela Editora Estrela Cultural, o leitor se encantará com a história de Íris, uma menina de 13 anos que não consegue dormir. Até que, no meio de uma noite, algo inusitado acontece: surge em sua casa um estranho visitante – um ancião sem rosto chamado Bonsenhor. Juntos, eles embarcarão em uma viagem cheia de surpresas, mas ela precisa ter muito cuidado com as emboscadas e as injustiças do mundo lá fora, que irão de encontro com esta adolescente cheia de dúvidas e conflitos internos.

Íris vê a infância como sinônimo de segurança e apego, enquanto crescer a leva para um lugar incerto e cheio de mudanças inéditas, das quais ela nunca presenciou. A obra de Renata Bortoleto é uma bela história sobre as transformações que acontecem com muitas garotas a partir de seus medos e inseguranças: na narrativa, estas questões vão encontrando seu lugar na medida em que Íris passa a entender seus propósitos no mundo.

LEIA TAMBÉM:  Livro que deu origem ao filme "O Irlandês" é relançado

De repente, vem um desejo de estar sendo cuidada pelos pais e na companhia da irmã, mesmo sabendo que heróis eles também não são. E de voltar no tempo, quando suas necessidades eram tão poucas e tão triviais. (p.36)

A escrita cativante e bem-humorada da autora convida o leitor a refletir sobre o mundo das emoções e dos sentimentos, ao mesmo tempo que toca em temas do universo jovem, como amizade, família e primeiro amor. Dinâmico e delicado, o livro é ilustrado pela paulistana Lais de Nuncio. Além de enriquecer as páginas, as belas ilustrações, cheias de vida e cor, levam o público a exercitar a imaginação e mergulhar profundamente nessa história, transformando a leitura em uma viagem verdadeiramente enriquecedora.

A menina do dia é uma aventura envolvente, repleta de reviravoltas, surpresas e metáforas sobre a adolescência. A escritora apresenta diversos personagens enigmáticos e complexos, que fazem aflorar, muitas reflexões sobre a lógica do mundo e seus mais profundos significados.

“Tem dias que é só diversão. Relembram o passado e criam o futuro. Gargalham sem parar, sem nem tentar se controlar, por causa de uma bobagem que ouvem de alguém ou das piadas que contam um ao outro na disputa de fazer rir. Em outros, é o silêncio que toma a palavra, e estes são dias cheios de saudades e reflexão. Para separar uns dos outros, eles os identificam como ‘dias sim’ e ‘dias não’”.. (p. 17 e 18)

LEIA TAMBÉM:  Livro que deu origem ao filme "O Irlandês" é relançado

Ficha técnica da obra:
Título: A menina do dia
Autoria: Renata Bortoleto
Ilustração: Laís de Nuncio
Editora: Estrela Cultural
Páginas: 80
Preço: R$ 49,90
ISBN: 978-85-45559-69-6
Medida do livro: 16 x 23cm
Indicação: A partir dos 12 anos
Temas transversais: identidade,
autoconhecimento, amizade.

Sobre a autora: Renata Bortoleto nasceu em São Paulo, em 1979. É escritora e atriz, encantada desde a infância por histórias e pelas artes em geral. A paixão pela escrita e a vontade de mudar o mundo a levaram para o jornalismo, enquanto a de se expressar e de tocar a alma das pessoas mostrou a ela o caminho do teatro. Já foi repórter, trabalhou em empresas, montou a própria, elaborou peças teatrais e atuou em outras, sempre com o desejo de encontrar respostas para suas inquietações. Leva uma vida agitada, equilibrando-se entre realizar os seus projetos e acompanhar o crescimento da pequena Maria. Criou a história de Íris para imaginar o que existe nos mundos invisíveis, aqueles que moram dentro e fora de nós, e o que podemos aprender com eles. Este é seu primeiro trabalho na literatura infantojuvenil, uma homenagem à menina que foi, que ouvia vozes e passos no corredor – ela ainda existe e, com sua imaginação, adora navegar por outras dimensões. É também uma forma de reverência e gratidão a seus ancestrais, aqueles que vieram antes, os desbravadores dessa magnífica jornada.

LEIA TAMBÉM:  Livro que deu origem ao filme "O Irlandês" é relançado

Sobre a ilustradora: Lais de Nuncio nasceu em São Paulo, 1995. Sempre teve uma mente agitada, cheia de personagens e mundos, e foi na arte que descobriu como trazer toda essa imaginação para o mundo tátil. Cursou Animação na instituição Belas Artes, onde se apaixonou ainda mais por criação visual, de personagens e story telling. Teve a oportunidade de elaborar um curta trabalhado na técnica de stop motion e de escrever uma história em quadrinhos, com a premissa feita em animação 3D. Trabalhou em dois outros projetos de animação, sendo um deles vencedor do concurso Itamaraty para Curta-Metragem Brasileiro. Ainda que seus maiores projetos tenham sido animações, suas maiores inspirações são as artes e desenvolvimentos que precedem as telas. A arte que faz com que as pessoas criem animações em suas próprias mentes. Em seu trabalho com artes visuais, procura inspirar o público e levá-lo a refletir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.