domingo , 21 abril 2024
Ínicio Notícias 02 bilhões de pessoas vão morar no deserto: você sabe o motivo?
Notícias

02 bilhões de pessoas vão morar no deserto: você sabe o motivo?

303
Compartilhe

Um estudo feito pela Universidade da Califórnia, e publicado na revista PNAS, aponta que cerca de 2 bilhões de pessoas viverão em lugares com temperatura média de 29° C, até o ano de 2100. Atualmente, aproximadamente 30 milhões de pessoas vivem essa dura realidade, principalmente no Saara e na Costa do Golfo.

Crise climática: uma emergência global

Em dias quentes e secos, as pessoas buscam as mais diversas alternativas para driblar o calor intenso. Alguns aderem ao ar-condicionado, outros preferem ventiladores. E isso acontece com frequência, afinal, a temperatura do planeta Terra não para de subir.

No entanto, para além disso, o fato é que a degradação do meio ambiente provocada pela crise climática ganhou força a partir da Revolução Industrial, na segunda metade do século XVIII. Desde então, os níveis de dióxido de carbono (CO2) aumentaram consideravelmente, atingindo níveis perigosos.

O CO2, mais conhecido por gás de efeito estufa, tem o objetivo de manter o planeta aquecido. Sem ele, a Terra ficaria gelada demais, impossibilitando a vida humana. Mas o excesso de gases formadores do efeito estufa (GEEs) tende a superaquecer o planeta. Não apenas a atmosfera terrestre, como também os oceanos sofrem as consequências.

A seguir, veja a lista feita pelo Protocolo de Kyoto sobre as atividades que aceleram o aquecimento global:

  • Queima de combustíveis fósseis;

  • Poluição produzida por veículos;

  • Atividades de indústrias;

  • Pecuária;

  • Desmatamento;

  • Descarte de lixo.

O que tem sido feito para desacelerar o aquecimento global?

O Protocolo de Kyoto foi um dos principais acordo mundiais para frear a emissão de gases de efeito estufa. Cerca de 141 países participaram do tratado, assinado em 1997, na cidade de Kyoto, Japão.

A ratificação aconteceu em 1999, por 55 países que correspondem a 55% da emissão dos gases, mas só entrou em vigor a partir de 2004, com a inserção da Rússia. Vale destacar que nações como Brasil, Alemanha, França, Itália e Noruega assinaram e protocolaram o acordo. Por outro lado, Afeganistão, Iraque, Sérvia e Vaticano ficaram de fora.

O protocolo possui metas a serem cumpridas pelos países participantes. Aos desenvolvidos e industrializados ficou definida a redução de 5,2% de emissão de gases. Para Japão e membros da União Europeia, a porcentagem era de 7% a 8%, nessa ordem.

Enquanto isso, o Protocolo de Kyoto não impos metas a Brasil, China e Índia, três países em desenvolvimento e membros do BRICS, grupo de países de mercado emergente. Sendo assim, as medidas adotadas por eles são voluntárias.

Aquecimento global e a saúde das pessoas

O aquecimento global não apenas traz riscos ao planeta, como também a população mundial. Na sequência, veja consequências das mudanças climáticas para os seres humanos.

Problemas respiratórios

A alta concentração de dióxido de carbono tem influência direta na aparição de problemas respiratórios. As mais comuns são:  asma, bronquite, sinusite, rinite e até mesmo pneumonia. Os problemas se intensificam nas grandes cidades, onde a poluição é intensa. De acordo com o Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 50 mil cidadãos brasileiros morrem todo ano por conta da poluição.

Doenças cardiovasculares e AVC

O aquecimento global também contribui para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral (AVC). Afinal, a combinação das altas temperaturas com a baixa qualidade do ar promove a sobrecarga do sistema nervoso.

Câncer de pele e catarata

O aquecimento global promove a diminuição da camada de ozônio, que serve para proteger os humanos dos raios UV. A defasagem dessa proteção faz com que os raios cheguem com maior intensidade à superfície da Terra.

Esses raios agridem a pele, causando queimaduras. Longos períodos de exposição solar sem proteção contribuem para o desenvolvimento de câncer de pele. Além do protetor solar, vendido em farmácias, roupas de algodão e óculos escuros são métodos eficientes para evitar agressões à pele.

Como a população pode contribuir para evitar o aquecimento global?

Cada pessoa pode colaborar para evitar que a Terra siga esquentando. Ações simples, mas efetivas ajudam a saúde do planeta.

A primeira delas é diminuir a geração de resíduos, reduzindo o desperdício de alimentos e também o uso de plástico. Na hora de descartar o lixo, o ideal é separar o lixo seco (reciclável), do lixo úmido (orgânico).

Escolher bens duráveis, ao invés de produtos descartáveis é mais uma maneira de ajudar o meio ambiente. Assim como o uso consciente dos recursos, dosando o consumo de água, madeira, papel, energia elétrica e plástico. Pequenas ações, como as citadas, fazem a diferença

Compartilhe

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Relacionadas

Rachid e José Inocêncio ficam chocados ao revelar o conteúdo da carta de Marianinha em Renascer

Após uma série de indecisões, Rachid (Almir Sater) finalmente se decide a...

Artur sofrerá decepção ao descobrir compromisso de Quinota em No Rancho Fundo

Nos próximos capítulos de “No Rancho Fundo“, Artur (Túlio Starling) enfrentará desilusão...

Electra enfrenta reviravolta: Vídeo incriminador abala estratégia de Hans e Jéssica

Nos próximos desdobramentos de “Família é Tudo”, Electra (Juliana Paiva) retorna à...

Quinota revela noivado e deixa Artur desolado em “No Rancho Fundo”

A paixão arrebatadora que Artur (Túlio Starling) sente por Quinota (Larissa Bocchino)...