7 novelas mexicanas que ninguém consegue esquecer

Publicidade

Quem nunca ficou olhando o relógio para ligar a televisão e ver a sua novela favorita? Sim, aquela que te emocionou, te arrancou suspiros, te fez sonhar com o amor verdadeiro, mas também te causou angústia, raiva, frustração, raiva e decepção.

Se você está entre os fãs de Novelas, principalmente as mexicanas, é mais do que certo que várias delas ficaram marcadas em sua memória, não só pela história que contaram, mas pelo trabalho de seus atores, muitos deles consagrados nesta indústria.

Pensando em você que é fã do gênero, o portal Atitude e Visão publicou um artigo onde relata setes novelas mexicanas difíceis de esquecer, lista que compartilhamos a seguir:

Amigas y Rivales (Amigas e Rivais)

“Amigas y Rivales” é uma novela juvenil mexicana produzida por Emilio Larrosa para a Televisa.

Foi lançado em fevereiro de 2001 e alcançou fama internacional em vários países onde foi transmitido. Estrelou Ludwika Paleta, Angélica Vale, Michelle Vieth, Adamari López, Arath de la Torre, Gabriel Soto, Rodrigo Vidal e Johnny Lozada; além de ter as participações antagônicas de Joana Benedek, Alejandro Ávila, Mayrín Villanueva, Ricardo Silva e Susana González.

No Brasil foi exibida pelo SBT, entre 22 de abril de 2002 e 24 de fevereiro de 2003. Ganhou uma versão brasileira em 2007, na mesma emissora.

A Usurpadora

“La Usurpadora” é uma novela mexicana dirigida por Beatriz Sheridan e produzida por Salvador Mejía para a Televisa.

Estreou em fevereiro de 1998. A história gira em torno da vida de duas gêmeas que foram separadas no nascimento, uma delas cresce entre luxos e excentricidades, enquanto a outra vive em uma casa humilde.

Estrelou Gabriela Spanic em um papel duplo ao lado de Fernando Colunga, com as atuações antagônicas de Chantal Andere, Juan Pablo Gamboa, Mario Cimarro e Dominika Paleta. A trama também tem o desempenho estelar de Libertad Lamarque.

Essa versão de A Usurpadora é um clássico que já foi exibido 7 vezes no SBT, e agora a novela pertence à Globo.

Os Ricos Também Choram

“Los Ricos también lloran” é uma novela mexicana produzida por Valentín Pimstein para a Televisa em 1979, dirigida por Rafael Banquells, produzida por Valentín Pimstein e estrelada por Verónica Castro e Rogelio Guerra, com a antagônica participação de Rocío Banquells.

A novela foi exportada para mais de 120 países e dublada em 25 idiomas. A história foi escrita por Inés Rodena a partir da radionovela de mesmo nome; a primeira parte do enredo foi adaptada por María Zarattini e a segunda parte é sobre a radionovela “Quando um filho é dado”, também de Inés Rodena que também foi usada na novela venezuelana Raquel, de Carlos Romero.

Este romance, além de ser considerado um clássico, também é avaliado como o melhor de todos os tempos.

Esmeralda

Esmeralda” é uma novela mexicana, dirigida por Beatriz Sheridan, a primeira novela de Salvador Mejía em sua carreira de produtor. É estrelado por Letícia Calderón e Fernando Colunga.

Na trama, os dois atores protagonizam uma história de amor e drama desde o dia em que nasceram. Foi lançado em maio de 1997 e cativou milhões de telespectadores em toda a América Latina.

Foi exibida pelo o SBT em 2000 e ganhou uma versão brasileira na mesma emissora em 2004.

Maria do Bairro

A novela “María, la del barrio” é uma novela mexicana, produzida pela Televisa, que teve como base o romance “Os ricos também choram” (1979). Estrelou Thalía e Fernando Colunga, com a antagônica participação de Itatí Cantoral.

Foi lançado em outubro de 1995 e é lembrado como um dos melodramas mexicanos mais populares, que deu a seus atores um grande salto para a fama.

Teve as atuações estelares de Ludwika Paleta, Osvaldo Benavides, Ana Patricia Rojo, Yuliana Peniche e os primeiros atores Iran Eory, Ricardo Blume, Meche Barba, Carmen Salinas e Ariadna Welter.

A novela já foi exibida várias vezes no SBT, porém agora pertence a Globo.

Rubi

“Rubí” é uma novela mexicana produzida por José Alberto Castro para a Televisa e tem como base uma história em quadrinhos homônima de Yolanda Vargas Dulché. Estrelou Bárbara Mori ao lado de Eduardo Santamarina, Sebastián Rulli e Jacqueline Bracamontes.

A história é sobre a vida de Rubí, uma jovem muito bonita, humilde e inescrupulosa que está disposta a tudo para sair da pobreza. O romance estreou em maio de 2004.

Apresentou os papéis antagônicos de Manuel Landeta e Carlos Cámara, bem como as atuações estelares das primeiras atrizes Ana Martín, Josefina Echánove e Leonorilda Ochoa.

Rebelde

Rebelde” é uma novela mexicana produzida pela Televisa. Foi uma adaptação do romance original argentino “Rebelde Way“. Estrelou Anahí, Dulce María, Maite Perroni, Alfonso Herrera, Christopher Uckermann e Christian Chávez, enquanto os protagonistas adultos foram Juan Ferrara e Ninel Conde.

A trama começou a ser exibida entre outubro de 2004 até junho de 2006. Alcançou a fama mundial e marcou uma geração inteira.

Um dos temas que marcaram o sucesso da série foi a formação de uma banda: o RBD. A produção da série concebeu a ideia do grupo musical de divulgar tanto os personagens quanto a própria novela.

Atualmente ganhou uma nova adaptação para a gigante Netflix.

Siga o Atitude E Visão nas redes sociais:

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Post Relacionados

Útimas Noticias

Você não pode copiar o conteúdo desta página