sábado , 18 maio 2024
Ínicio Vida e Estilo Beleza  Harmonização facial – Qual diferença entre toxina botulínica e ácido hialurônico?
BelezaVida e Estilo

 Harmonização facial – Qual diferença entre toxina botulínica e ácido hialurônico?

72

Um recente estudo conduzido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) revela uma impressionante expansão de 390% na busca por procedimentos estéticos no Brasil. Baseando-se em uma pesquisa com mais de 1200 participantes, constatou-se que 80% deles já haviam se submetido a procedimentos não invasivos. Essa ascensão destes números destaca a crescente popularidade e acessibilidade dos procedimentos estéticos. Avanços tecnológicos, uma maior ênfase no autocuidado e preços atrativos emergem como fatores impulsionadores desse aumento na busca por opções que visam aprimorar a aparência.

No entanto, essa disseminação da procura também acarreta confusões, visto que uma parcela considerável dos pacientes ainda desconhece as distinções entre os principais componentes utilizados nos procedimentos pouco invasivos: a toxina botulínica e o ácido hialurônico. A dentista e especialista em harmonização orofacial, Luise Albuquerque, alerta para a persistente confusão sobre as funções de cada um e seus locais de aplicação.

Veja também: 

Participante de A Fazenda 15, Radamés Martins realiza harmonização facial para entrar em reality

Não satisfeito com sua harmonização facial? Descubra as soluções!

A especialista esclarece que a toxina botulínica tem como função primordial a paralisação da musculatura, sendo passível de aplicação em qualquer músculo da face. Destina-se principalmente ao tratamento de linhas de expressão, tais como as da testa, pés de galinha, queixo com aspecto de casca de laranja, pequenas linhas horizontais do pescoço e outros casos. Por outro lado, o ácido hialurônico é empregado em procedimentos de reestruturação e ancoragem, compensando a perda natural da estrutura óssea ao longo dos anos. Além disso, é utilizado para volumizar regiões do rosto, equilibrando e harmonizando de maneira personalizada.

Outra distinção crucial apontada pela especialista é a origem dos compostos. A toxina botulínica é derivada da bactéria Clostridium botulinum, apresentada em pó e reconstituída com soro fisiológico antes da aplicação. Por outro lado, o ácido hialurônico é fornecido em formato de gel, pronto para ser aplicado. Além de sua função de reestruturação, destaca-se pela biocompatibilidade com o organismo, proporcionando também hidratação ao atrair a água para a região aplicada.

Entretanto, para determinar o procedimento mais adequado às preocupações do paciente, é fundamental realizar uma consulta com um profissional qualificado. Através de uma anamnese detalhada, é possível identificar o tratamento mais indicado para cada caso, assegurando resultados satisfatórios. A especialista enfatiza que a busca por procedimentos estéticos deve ser acompanhada por orientação profissional, garantindo escolhas seguras e personalizadas.

Para conhecer mais sobre o trabalho da especialista, acesse o perfil no instagram @dra.luisealbuquerque.

Compartilhar:

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Notícias Relacionadas

Conheça mitos e verdades sobre o chá, uma bebida milenar

Versátil e agradável, o chá é uma bebida milenar capaz de chamar...

Banho gelado? Moda entre famosos é benéfica e ajuda até na depressão. Entenda

Imagina se aquele banho logo ao acordar, que antecede um dia cheio...

Especialista traz dicas para preparação de pele seca na maquiagem

As baixas temperaturas são um desafio para a pele, uma vez que...

Quer fugir do clássico? Confira tendências para incluir na maquiagem de noiva

O mês de maio traz consigo um importante significado, por celebrar um...