sexta-feira , 21 junho 2024
Ínicio Canal Viva Resumo Sinhá Moça: capítulos de 22/06 a 03/08/2024
Canal VivaResumo Das NovelasResumo Das novelas Do Canal Viva

Resumo Sinhá Moça: capítulos de 22/06 a 03/08/2024

3.4k

Confira o resumo da novela “Sinhá Moça” que irá ao ar entre os dias 17/06 de 03 de agosto, às 15h30, no VIVA, e mantenha-se atualizado com tudo o que acontecerá.

Descubra o que está por vir na novela nos próximos dias:

Capítulo 145, segunda 17 de junho

Ana convida Sinhá Moça e Rodolfo para serem padrinhos de seu casamento. Ricardo permanece alheio à conversa. Juliana não se anima muito com os planos de casamento e Augusto percebe. Dimas diz a Frei José que já se sente vingado e lamenta ter perdido o grande amor de sua vida por causa de seu ódio. Juliana pergunta se Mário ainda se casaria com ela, sabendo que ela ama Dimas. Adelaide diz a Sinhá Moça que não pode passar sua vida com um homem que não acredita nela. Coutinho aconselha o filho a esquecer Adelaide e garante que ele poderá criar o filho.

Augusto não gosta quando Mário conta que Juliana continua amando Rafael. O Barão diz aos fazendeiros que Fontes não merece a confiança deles e que Rodolfo é o Irmão do Quilombo. Depois, pede a José Coutinho que se case com Sinhá Moça. Rodolfo diz a Sinhá Moça que não vai permitir que o Barão se aproxime de seu filho. Ricardo diz a Ana que não pode enganá-la, pois só pensa na Baronesa. O Barão promete que Frei José vai pagar caro por ter casado Sinhá Moça e Rodolfo.

Capítulo 146, terça 18 de junho

Coutinho exige que Frei José anule o casamento de Sinhá Moça, mas ele se recusa. Cândida diz ao Barão que não vai permitir que ele case Sinhá Moça com outro homem e jura testemunhar a favor de Frei José e depois abandonar o marido. Fontes e Rodolfo se espantam ao saber por José Coutinho da proposta do Barão. Sinhá Moça leva um choque ao ouvir Ricardo confessar que ama a Baronesa. Mário promete ao pai voltar a estudar, caso Juliana não se decida logo. Dimas aconselha Juliana a se casar com Mário, mas ela reafirma a sua paixão por ele. Mário chega e acusa Dimas de ser o culpado pelo atentado ao Barão. Frei José se surpreende com a confissão de Cândida. O Barão ameaça Frei José e Cândida diz que ele nada fará contra o pároco. Depois, o Barão insinua que vai expulsá-la de casa, mas ela o enfrenta mesmo assim.

Capítulo 146, quarta 19 de junho

Coutinho exige que Frei José anule o casamento de Sinhá Moça, mas ele se recusa. Cândida diz ao Barão que não vai permitir que ele case Sinhá Moça com outro homem e jura testemunhar a favor de Frei José e depois abandonar o marido. Fontes e Rodolfo se espantam ao saber por José Coutinho da proposta do Barão. Sinhá Moça leva um choque ao ouvir Ricardo confessar que ama a Baronesa. Mário promete ao pai voltar a estudar, caso Juliana não se decida logo. Dimas aconselha Juliana a se casar com Mário, mas ela reafirma a sua paixão por ele. Mário chega e acusa Dimas de ser o culpado pelo atentado ao Barão. Frei José se surpreende com a confissão de Cândida. O Barão ameaça Frei José e Cândida diz que ele nada fará contra o pároco. Depois, o Barão insinua que vai expulsá-la de casa, mas ela o enfrenta mesmo assim.

Capítulo 147, quinta 20 de junho

Sinhá Moça pressiona Ruth, ao ouvir Ricardo dizendo que se casaria logo se a noiva fosse outra. Virgínia teme por Cândida, que diz que não abandonará o marido doente, mas não permitirá que ele acabe com a vida da filha. Renato, Vila, Pedro e Martinho voltam à cidade. Mário os encontra e Bobó conta as novidades. José Coutinho sofre, mas o pai manda que ele esqueça Adelaide e avisa que não aceitará que registrem o neto com seu nome. Augusto fica feliz com a volta de Martinho. Adelaide morre de saudades do marido, mas acha que não deve voltar. Rodolfo comenta com Sinhá Moça que Fontes não tem mais trabalho por culpa do Barão. Sinhá Moça diz a Rodolfo que sabe que Ricardo é apaixonado por sua mãe. O Barão fala para Cândida que o cavalo voltou para fazenda. Ela conta que foi salva por Ricardo e ele morre de ciúmes, trancando-a no quarto para que não vá mais até a cidade. Depois, chama Ricardo para tirar a história a limpo.

Capítulo 148, sexta 21 de junho

Sinhá e Ricardo concluem que se tivessem sido mais sinceros, desde o início, seus pais não estariam brigados hoje. Mário pede desculpas a Dimas por tê-lo acusado na frente de Juliana. Dimas diz que prefere que Juliana acredite nisso, pois a ama, mas quer que ela seja feliz. Ana diz a José Coutinho que Adelaide sofre muito e que ele devia buscá-la em sua casa. Nina diz a Adelaide que se todos os casais se separassem por qualquer briga, não iria sobrar nenhum no mundo. Cândida se recusa a comer, mas o Barão não muda de ideia. Sinhá Moça diz que gostaria de ir conversar com o Barão. Ricardo gosta que Rodolfo tenha dito a Sinhá Moça que ele sente veneração por Cândida, como se ela fosse uma santa. Bruno ameaça Ricardo e o obriga a ir à fazenda do Barão. Virgínia ouve a conversa dos dois e conta para Cândida. O Barão pede desculpas por ter desconfiado da mulher e autoriza que ela veja a filha. Os movimentos das pernas do Barão começam a voltar, mas ele esconde isso de todos.

Capítulo 149, sábado 22 de junho

Ricardo encontra com Pedro e Renato e diz que não vai convidá-los para o casamento. Augusto reclama porque Mário e Dimas não aparecem para trabalhar. Juliana sofre porque os dois desapareceram. Augusto sugere que ela escolha aquele que voltar primeiro ou que esqueça os dois. Mário e Dimas conversam sobre Juliana. Ricardo diz a Sinhá Moça que o Barão o chamou para conversar sobre Cândida. Nina ajuda Ana a fazer as malas e sofre ao pensar que a filha vai morar em outra casa. Adelaide devolve a carta de alforria a Coutinho e pergunta se José Coutinho a quer de volta. O casal faz as pazes. Coutinho fica indignado e queima a carta de alforria na frente de todos. Em seguida, oferece Adelaide a Martinho.

Martinho fica constrangido pela proposta, mas, quando os outros fazendeiros saem, promete que vai visitar Adelaide. Bruno pede que Fulgêncio se aproxime de Virgínia para descobrir onde o Barão guarda o ouro. Justo, Bentinho, Justino e o Capitão voltam a Araruna. Justino acomoda Balbina em uma casa e ela diz que quer ver Fulgêncio. O Barão se comove quando Virgínia conta que fez uma promessa para Sinhá Moça se salvar.

Resumo Sinhá Moça: capítulos de 24 a 29 de Junho

Capítulo 150, segunda 24 de junho

Cândida e Sinhá Moça se abraçam felizes. Fulgêncio sugere que Bruno descubra o paradeiro do filho de Virgínia. Sinhá Moça conta para Cândida que Fontes não consegue trabalho por culpa do Barão. O Barão dá alguns passos, sem que ninguém veja. Coutinho avisa Martinho que José Coutinho não pode saber que ele lhe deu Adelaide de papel passado. Justo pede que Rodolfo prometa que não vai mais perseguir o Capitão.

Balbina diz que quer ver Fulgêncio e Virgínia. Justo garante a Rodolfo que o Capitão não é culpado pelo atentado ao Barão e revela que ele é seu filho com Balbina. Bastião conta a Dimas que Cândida já sabe que ele é filho do Barão. Cândida diz que fará o possível para estar no casamento de Ana e Ricardo. Sinhá Moça entrega uma barra de ouro que Cândida deixou como presente de casamento para Ricardo. Cândida diz a Frei José que quer conversar com Rafael sobre Maria das Dores. Rodolfo diz a Sinhá Moça que Cândida não precisa sustentá-los, indignado que está com o ouro.

Capítulo 151, terça 25 de junho

Cândida diz a Rafael que, muitas vezes, sentiu ciúmes de Maria das Dores. O Barão nega saber onde está o filho de Virgínia, quando Bruno pergunta. Dimas garante que não foi responsável pelo atentado ao Barão e jura que não vai cumprir a sua promessa, para não entristecer Sinhá Moça. Cândida pergunta pelo paradeiro de Maria das Dores, mas Dimas não responde. Martinho avisa Adelaide que a comprou de Coutinho. José Coutinho chega e exige satisfações. Martinho entrega o documento de posse ao rapaz e diz que queria somente se vingar da humilhação que sofreu de Coutinho. Ana arruma suas malas. Ricardo experimenta o terno do casamento.

Sinhá Moça e Rodolfo visitam Balbina. O Barão finge não escutar quando Cândida conta as novidades sobre Sinhá Moça. Balbina chora quando Sinhá Moça fala que Pai José morreu. Justino desconfia quando Balbina fala que o filho de Virgínia chama-se Bastião. Coutinho se enfurece ao saber que Martinho deu o documento a José Coutinho. José Coutinho diz que não é mais seu filho e o pai o amaldiçoa.

Capítulo 152, quarta 26 de junho

Ricardo surpreende Ana ao dizer que depois do casamento eles irão à Capital. Juliana sofre quando Frei José conta que Dimas irá embora brevemente. Rodolfo diz à mãe que gostaria de trazer Balbina para a sua casa e pede que ela a coloque no quarto de Justo. O Capitão do Mato e Justino dizem que vão cumprir a promessa de Pai José. O Capitão promete se vingar de Bruno. Cândida diz a Virgínia que gostaria de ir ao casamento para abençoar Ricardo.

Justino e o Capitão se escondem na senzala da fazenda do Barão. Bruno acha que somente o Barão sabe onde está o ouro. Fulgêncio promete ajudá-lo. Cândida conta que deu o ouro para Sinhá Moça. O Barão exige a barra de volta. Cândida vai à cidade com Virgínia. Tomás e Bento se assustam ao ver o Capitão, que pergunta por Bruno. Inez manda Justo procurar Ricardo na fazenda, pois ele está atrasado. Todos se arrumam para a cerimônia. Eduardo bate na casa de Manoel e se deslumbra ao ver Ana vestida de noiva.

Capítulo 153, quinta 27 de junho

Cândida chega à casa dos Fontes e Ricardo se deslumbra quando ela diz que veio para o casamento. Fontes convida Augusto e Juliana para serem padrinhos de Ricardo. Bruno diz a Fulgêncio que o Barão está nas mãos dele. Tomás e Bento dizem que estão do lado do Capitão e de Justino. Ricardo olha tristemente para Cândida, antes de ir para a Igreja, que está repleta de convidados. A noiva faz sua caminhada até a Igreja. Bruno entra no escritório do Barão de surpresa e ele o ameaça. Depois, o Capitão e Bruno se enfrentam. O Barão, que já anda, decide ir à senzala. Frei José comanda a cerimônia. O Capitão fica gravemente ferido e Bruno morre. Todos comemoram o casamento no armazém. Virgínia e Balbina se reencontram, comovidas.

Capítulo 154, sexta 28 de junho

Fontes devolve a barra de ouro para Cândida. Augusto brinda aos noivos e todos comemoram. Cândida não encontra o Barão em casa. O Barão tranca os escravos na senzala e diz que tudo voltou a ser como antes. Justino e Fulgêncio garantem que vão lutar até o fim. Cândida, Virgínia e Bastião arregalam os olhos ao verem o Barão andando. Rodolfo conta a Sinhá Moça sobre o acontecido na fazenda Araruna. O Barão conversa com os fazendeiros no armazém. Justo diz a Balbina que seus filhos não vão voltar e sofre pelo Capitão ter morrido sem saber que era seu filho. Dimas enfrenta o Barão na delegacia. Depois, diz a Rodolfo que eles precisam libertar Fulgêncio e Justino. O Barão encontra Sinhá Moça na Igreja e mostra interesse pelo neto, mas nem fala o nome do genro.

Capítulo 155, sábado 29 de junho

Justino e Fulgêncio são presos. O Barão abre de novo a senzala e avisa que Frei José irá casar seus escravos em uma grande festa. Dimas vibra com o feito de Justino e promete que ele e Fulgêncio não ficarão presos. Frei José vai à tipografia para conversar com Augusto, mas não o encontra lá. Bastião defende Fulgêncio dizendo que ele não tem culpa pelo o que aconteceu. O Barão diz a Cândida que Justino e Fulgêncio serão julgados e condenados. Virgínia se entristece. O Barão manda Bastião buscar Balbina para que ela fique com a irmã, caso queira.

Dimas conta ao delegado e aos outros que o Barão deu ordem para sumirem com o Capitão. Depois, começa a escrever um artigo para A Voz de Araruna denunciando o Barão. Rodolfo decide ser advogado de Fulgêncio e Justino. Sinhá Moça diz a Inez que aprova a decisão do marido. O delegado Antero previne Rodolfo dizendo que o Barão jamais o perdoará por isso. Rodolfo promete que levará à corte todos os crimes do sogro, tornando-o réu.

Resumo Sinhá Moça: capítulos de 01 a 06 de julho

Capítulo 156, segunda 01 de julho

Bastião conduz a charrete com Balbina e Justo. Sinhá Moça insiste em falar com Fulgêncio e Justino. Cândida pede que o marido libere Fulgêncio, mas ele não cede. Sinhá Moça pergunta se Bastião é filho de Balbina, mas Fulgêncio e Justino dizem que havia um menino, Tião, que era filho de Virgínia. Bastião pede a sua carta de alforria para ir embora com Balbina. Coutinho avisa o Barão que Rodolfo e Fontes estão planejando algo contra ele e que Sinhá Moça está ao lado deles. Fontes discursa contra o Barão, com o apoio de Augusto. Coutinho se ofende quando o Barão não aceita José Coutinho para ser seu advogado. Juliana teme por Rafael depois da publicação do artigo. Fontes diz que Coutinho terá que escolher um lado. Sinhá Moça incentiva Rodolfo a enfrentar seu pai.

Capítulo 157, terça 02 de julho

Augusto diz a Dimas que será uma edição histórica do jornal. Ricardo e Ana voltam. Juliana e Dimas apregoam as manchetes e todos compram os jornais. Mário leva o jornal para vender nas cidades vizinhas. Todos leem sobre as mortes de Bruno e do Capitão do Mato. Balbina diz que Bastião não é seu filho e ele fica sem entender. O Barão fica indignado com a reportagem. Martinho diz ao Barão que o povo de Araruna está na porta da delegacia exigindo a liberdade de Justino e Fulgêncio e a prisão dele. Nina faz questão que Ana almoce com ela, mas Ricardo diz que vai comer na casa da mãe. Ana teme que Ricardo não venha buscá-la. Ele vai para a fazenda sem a mulher. Manoel diz a Fontes que Ricardo tem que pegar Ana em sua casa ou o casamento acaba.

Capítulo 158, quarta 03 de julho

Fontes diz que vai tomar uma providência com relação a Ricardo. Dimas diz a Juliana que depois de sua vingança a pedirá em casamento. Nina fica furiosa ao saber que Ricardo foi sozinho para a fazenda. Sinhá Moça diz a Rodolfo que quer ir à fazenda do pai contar a verdade para Virgínia. Mário entende Juliana quando ela confessa seu amor por Dimas e promete ser sempre seu amigo. Fontes obriga Ricardo a ir buscar a mulher e repete a ameaça feita por Manoel. Ana fica feliz ao ver Ricardo. Inez diz a Ricardo e Ana que eles vão dormir lá, pois já está tarde para pegar a estrada. Augusto comemora a edição histórica de seu jornal.

Nogueira, Viriato e Tibúrcio defendem o Barão. Cândida fica aflita em saber que o Barão reuniu seus homens para uma missão. Frei José vai ver Fulgêncio e Justino a pedido do delegado. Os homens do Barão invadem a tipografia e empastelam tudo. Balbina comenta sobre o quarto do ouro com Justo. Monarquistas e republicanos discutem no armazém. O delegado tenta acalmar os ânimos.

Capítulo 159, quinta 04 de julho

Frei José abriga Justino e Fulgêncio. Rodolfo e Dimas dizem aos fazendeiros que os escravos estão mortos. Augusto fica desolado ao ver a tipografia destruída. Mário se revolta. Dimas sente-se culpado. Augusto decide colocar ordem na casa para que o jornal não deixe de sair. Mário e Dimas arregaçam as mangas. Rodolfo os ajuda. Sinhá Moça acha que Rodolfo deve mesmo lutar contra seu pai. Frei José vai com Sinhá Moça à casa do pai. Justo conta para Rodolfo sobre o local onde está escondido o ouro do Barão, que lhe foi revelado por Balbina. O Barão diz aos seus amigos fazendeiros que não teve nada a ver com os atentados e pede ajuda deles na luta contra os republicanos. Frei José confessa para Cândida que os escravos estão salvos, mas pede segredo. Virgínia e Bastião se abraçam emocionados ao saberem a verdade.

Capítulo 160, sexta 05 de julho

Sinhá Moça diz a Bá que precisa conversar com ela. Frei José confessa para Cândida que Justino e Fulgêncio estão salvos, mas pede segredo. Os fazendeiros prometem apoio ao Barão. Augusto está fraco de tanto trabalhar. O Barão diz que Sinhá Moça é bem-vinda em sua casa, desde que não o acuse. Sinhá Moça ironiza que ele não deve ter tido nenhuma participação nos incidentes da noite anterior. Cândida acusa o Barão de crueldade por saber que Bastião era filho de Virgínia e jamais ter contado. Virgínia pergunta ao Barão por que a fez sofrer tanto e ele responde que trouxe o filho para o lado dela e que agora lhe dará sua carta de alforria. Bastião é que precisará esperar a Abolição. Ricardo avisa Ana que vão ficar na cidade porque ele pretende ajudar Rodolfo e Fontes, se necessário. Eduardo diz a José Coutinho que pretende ficar na cidade e que está interessado em alguém. Bobó incentiva Fulgêncio e Justino a fugirem, mas eles dizem que prometeram a Rodolfo levar o Barão aos tribunais. Justo leva Balbina à Igreja.

Capítulo 161, sábado 06 de julho

Pai Tobias e Mãe Maria cuidam do Capitão do Mato. Balbina manda Fulgêncio e Justino fugirem. Pai Tobias e Mãe Maria alimentam o Capitão do Mato, que está muito fraco. Frei José avisa ao delegado que Fulgêncio e Justino fugiram e tenta convencer Fontes e Rodolfo a não levarem o Barão ao tribunal. O delegado acha que o Frei tem razão, pois o Barão está disposto a deflagrar uma guerra na cidade. Rodolfo não quer recuar, mas Fontes diz que vai levar ao Barão uma proposta de paz. Augusto volta ao trabalho. Eduardo só fala de Ana e Bobó se preocupa.

Frei José diz ao Barão que os escravos tinham fugido e que ele deveria aceitar Sinhá Moça e Rodolfo em sua casa. Depois, sugere fazer um novo casamento para os dois em sua igreja. O Barão diz que haverá a paz. Frei José avisa que Sinhá Moça pode voltar para a fazenda e que ela se encontrará de novo com Rodolfo na igreja, na cerimônia de casamento. O Barão confessa para Cândida que vai aceitar o casamento dos dois só para poder participar da criação de seu neto.

Resumo Sinhá Moça: capítulos de 08 a 13 de julho

Capítulo 162, segunda 08 de julho

Rodolfo acha que o Barão não vai mais deixar que Sinhá Moça saia de sua casa. Sinhá Moça não sabe o que fazer. Frei José pede que Augusto não publique nada culpando o Barão. Ricardo acha que o Barão está tramando alguma coisa. Bastião sofre por não conseguir sua liberdade. Virgínia garante que jamais vai se afastar dele. Ana reclama que Ricardo não deixa que ela veja a mãe. Rodolfo vai com Frei José à fazenda Araruna. Sinhá Moça acha bom que Fontes também esteja presente ao encontro. Justo sofre pelo Capitão ter morrido sem saber que era seu filho. Fulgêncio e Justino descobrem que o Capitão está vivo.

O Barão recebe a todos bem e se diz disposto a uma conversa franca. Ana choca Inez ao dizer que Ricardo vive pensando na Baronesa. Sinhá Moça diz ao pai que ela e Rodolfo educarão o filho e que eles não pretendem morar na fazenda. O Barão concorda com tudo. Eduardo diz a Ana que estará sempre ao seu lado. O Barão faz perguntas sobre escravos e Rodolfo diz que não é o Irmão do Quilombo. Depois, diz que quer Fontes e Rodolfo ao seu lado, caso seja incriminado.

Capítulo 163, terça 09 de julho

Sinhá Moça se chateia ao saber que Bastião não recebeu a alforria. Ana e Nina conversam sobre Eduardo. Eduardo diz a Manoel que pretende ficar em Araruna, pois está apaixonado por uma moça, embora ela seja comprometida. Depois, o engenheiro propõe sociedade a Manoel, que fica sem palavras. O Barão garante a Fontes que seus clientes vão voltar. Sinhá Moça reclama com o pai, que lhe entrega as cartas de alforria de Virgínia e de Bastião. Nina e Ana ficam pasmas quando Manoel diz que agora é sócio de Eduardo.

Virgínia abraça Sinhá Moça, emocionada, ao receber a alforria. Bastião olha feliz para sua carta. Rodolfo vai embora deixando Sinhá Moça na casa do pai até o casamento. Ricardo briga com Ana, porque ela visitou a mãe. Inez e Ruth ficam contra ele. Ana diz a Ricardo que só volta na casa da mãe quando ele deixar. Augusto diz que não participa da trégua ao Barão.

Capítulo 164, quarta 10 de julho

O Barão propõe a Cândida que os negros da senzala se casem na mesma cerimônia de Sinhá Moça e Rodolfo. O delegado critica Fontes, mas acaba concordando que a paz é necessária. Fulgêncio e Justino se preocupam com o Capitão. Augusto se indigna com a nova posição de Fontes, favorável ao coronel Ferreira. Justo assume para Balbina que estava envolvido no atentado ao Barão. Dimas tem certeza que o Barão está aprontando alguma coisa.

Mário concorda que eles agora estão sozinhos na luta pela abolição e pela República. O Capitão começa a se recuperar e dá uma volta pelo quilombo, ajudado pelos irmãos. Bastião fica chateado porque Virgínia não quer ir embora. Ana almoça na casa da mãe. Justo aconselha Ricardo a levar Ana para a fazenda. Os fazendeiros comentam que os italianos estão chegando para cuidar da lavoura. Dimas chega ao armazém e atormenta o Barão com sua presença. O Barão promete se retirar caso o jovem se sente com eles.

Capítulo 165, quinta 11 de julho

Manoel, Everaldo e outros fazendeiros intercedem a favor de Dimas e o Barão permite que ele se sente. Dimas afirma que a Abolição não tardará. O Barão duvida que isso vá acontecer em breve. Justino diz a Pai Tobias que eles voltarão a Araruna para se vingar do Barão. O Barão acusa Dimas de ter libertado vários escravos. Ele retruca e o clima esquenta. Balbina pede que Justo se case com ela. Eduardo faz um galanteio para Ana, que ignora. José Coutinho comenta com Adelaide que Eduardo está apaixonado por Ana. O Barão diz à mulher e à filha que um dia se vingará de Dimas. Fontes pede que Augusto e Dimas deem uma trégua ao Barão pelo menos até o casamento. Muito a contra-gosto, eles concordam. Frei José tenta convencer Dimas a perdoar o pai. Juliana pede que o avô pare de atacar o Barão.

Capítulo 166, sexta 12 de julho

Virgínia diz ao Barão que ele não devia fazer mal ao filho de Maria das Dores. Dimas fala para Rodolfo que o casamento na Igreja será uma farsa e o Barão não deixará de odiá-lo. Bobó diz que os fiéis estão reclamando porque Frei José vai casar Sinhá Moça grávida. Nina alerta Fontes sobre o falatório na cidade. Frei José pede a Fontes que o acompanhe até a fazenda, pois dirá ao Barão que não poderá fazer a cerimônia.

Augusto reclama do poder do Barão. Dimas e Mário acham que o jornal deve fazer uma campanha contra o falso casamento. Bastião se assusta ao ver Justino, Fulgêncio e Capitão. Primeiro, o Barão exige que Frei José cumpra o prometido, mas depois resolve aceitar o casamento no quilombo, com uma condição: Rodolfo e Sinhá Moça devem viver na fazenda. Rodolfo concorda em ficar na fazenda até o nascimento do filho. O Barão insiste que vai nascer um menino, o que preocupa Sinhá Moça.

Capítulo 167, sábado 13 de julho

Rodolfo se despede da família e diz que ficará na fazenda só até o filho nascer. Juliana pede que Dimas pense mais no amor deles do que na luta. Cândida e o Barão recebem Rodolfo. Bastião conta pra Justo que Justino, Fulgêncio e Capitão estão na fazenda. Adelaide não se sente bem. Ana manda Eduardo parar de segui-la e de dizer galanteios. Renato manda Eduardo ter cuidado com Ricardo. Justo se emociona ao ver o Capitão vivo, mas se preocupa quando ele diz que vai se vingar do Barão. Cândida pergunta a Ricardo sobre seu casamento. Justo diz a Fulgêncio que sabe onde está o ouro. Ricardo elogia a Baronesa sem parar. Justo manda que ele preste atenção em Ana. Manoel manda que Eduardo não converse com a filha e nem com qualquer mulher casada da cidade. Renato conta para Ricardo que Eduardo diz galanteios à Ana.

Resumo Sinhá Moça: capítulos de 15 a 20 de julho

Capítulo 168, segunda 15 de julho

José Coutinho conta para Adelaide que Manoel desistiu da sociedade com Eduardo. Adelaide sente dores e pede que ele chame a parteira. O Barão pergunta a Rodolfo se ele teria vontade de entrar na política, com seu apoio. Sinhá Moça insiste em participar da conversa, embora o pai ache que política não é para mulheres. Ruth e Balbina ajudam no parto de Adelaide. Sinhá Moça surpreende o pai falando sobre a Constituição. Manoel, Pedro e Ernesto impedem que Ricardo alcance Eduardo, que pega o trem. Rodolfo e Sinhá Moça colocam-se radicalmente contra o Barão, quando o assunto é a escravatura. Ruth avisa José Coutinho que a criança está sentada. Inez avisa Coutinho que o parto de Adelaide está complicado. Dimas pede Juliana em casamento e ela aceita. Everaldo manda Mário esquecer Juliana e voltar a estudar. Coutinho se coloca ao lado da cama e diz que quer o neto em seu colo.

Capítulo 169, terça 16 de julho

Justo aconselha Ricardo a fazer as pazes com Ana e esquecer a Baronesa. Ana avisa que visitará Adelaide e sua mãe e Ricardo se oferece para acompanhá-la. Coutinho ajuda no parto de Adelaide. Frei José consola José Coutinho, que se preocupa com sua mulher. Todos rezam por Adelaide. Nasce a criança. Coutinho mostra o filho a José Coutinho e depois chora. Fulgêncio diz que quer o ouro do Barão para comprar a alforria dos outros escravos. Justo promete pegá-lo e aconselha Fulgêncio a ir para o mato com o Capitão e Justino. O Barão trata bem Rodolfo. Coutinho brinda ao neto. O Barão pensa em uma forma de se vingar de Rodolfo. Cândida diz para Sinhá Moça que o Barão quer que o neto tenha o seu sobrenome. Bastião conta que os escravos viram o fantasma do Capitão. Justo pede a ajuda de Bastião para empurrar o armário e os dois se maravilham ao ver o ouro.

Capítulo 170, quarta 17 de julho

José Coutinho diz a Coutinho que Adelaide quer que ele escolha o nome do neto. Coutinho pega o neto no colo, orgulhoso. Bento e Tomás dizem ao Barão que o Capitão vem assombrando os negros. Justo leva uma barra de ouro para Fulgêncio, Justino e Capitão, que se escondem em um casebre. Augusto vê Dimas e Juliana juntos e pensa que é preciso apressar o casamento. O Barão diz a Rodolfo que ele deve ir para a Capital se tornar político. Sinhá Moça reage ao saber. Rodolfo avisa que não se afastará da mulher e o Barão finge que não queria impor nada. Bento, Antônio e Tomás veem Fulgêncio, o Capitão e Justino na senzala. Eles prometem livrá-los do cativeiro e pedem segredo. Justo conta para Balbina que o filho está vivo. José avisa ao Barão que Fulgêncio, Justino e o Capitão estão de volta.

Capítulo 171, quinta 18 de julho

José diz que os três estão escondidos no mato, dispostos a se vingar do Barão. O Barão manda que os homens vigiem a casa e ameaça Bastião para que ele lhe dê alguma informação. Bastião não diz nada e resolve pegar o ouro, mas o Barão vê a porta do armário aberta e a tranca. Depois, sai à procura dos três. Rodolfo manda Fulgêncio, Justino e o capitão fugirem, mas eles se recusam. O Capitão sugere aos irmãos levar Sinhá Moça, a Baronesa e o ouro como proteção. Rodolfo vai à cidade avisar ao delegado. Ricardo pede um empréstimo ao pai, que não tem dinheiro. Nina e Manoel ficam abismados quando Juliana conta que Ana pretende ter 10 filhos, de cócoras como as índias. Fulgêncio, Justino e o Capitão entram na casa, assustando Sinhá Moça e Cândida.

Capítulo 172, sexta 19 de julho

O Capitão avisa a Sinhá Moça que eles só vão embora depois de se vingar do Barão. Bastião reza, preso no quarto do ouro. O Barão e seus homens se embrenham na mata. Antônio acusa José de traidor. Tomás incita os escravos a lutar ao lado do Capitão. Bastião esmurra a porta. Rodolfo pede ajuda a Dimas. O Capitão ameaça o delegado e avisa que o Barão será punido. O Barão se aproxima da fazenda e o delegado conta que Sinhá Moça e Cândida são reféns dos três escravos. O delegado avisa Rodolfo da situação e ironiza que talvez o Irmão do Quilombo resolva tudo. Rodolfo, Dimas e Justo chegam à fazenda. Justino ameaça todos e diz para os três irem embora. O Capitão conta para Sinhá Moça que recebeu dinheiro do Barão para perseguir Rodolfo. Virgínia acha que os três fizeram algo contra Bastião, mas eles negam. O Capitão pergunta pelo ouro ao Barão e ameaça Sinhá Moça.

Capítulo 173, sábado 20 de julho

Fontes e Frei José decidem ir para a fazenda. O Capitão deixa que Dimas entre. Dimas ironiza a situação frágil do Barão. Os escravos não ouvem Frei José. Ana fica enciumada porque Ricardo se preocupa com a Baronesa. Dimas diz não estar interessado no ouro, que é maldito. Virgínia pressente que algo ruim aconteceu com Bastião. Dimas promete a Sinhá Moça e Cândida que conseguirá libertá-las. Dimas avisa ao Barão que ele será punido. Fulgêncio manda os escravos fazerem uma fogueira e levantarem um novo tronco. Fulgêncio ameaça Rodolfo e manda que ele não interfira. Os negros tocam e dançam. O Barão é amarrado no tronco. Sinhá Moça e Cândida assistem abismadas. Rodolfo tenta impedir, mas é cercado pelos escravos. Sinhá Moça segura a mão de Dimas e grita que o Barão é seu pai. Todos reagem atônitos.

Resumo Sinhá Moça: capítulos de 22 a 27 de julho

Capítulo 174, segunda 22 de julho

O Barão diz que Dimas não é seu filho. Sinhá Moça cobre o corpo do pai com o seu. Cândida, Rodolfo e Dimas lutam para se soltar das mãos dos escravos. O Capitão atinge Sinhá Moça. Justo reage contra o Capitão e conta que é seu pai. Depois, o delegado atinge o Capitão, que cai aos pés de Justo. O delegado diz que Dimas agiu mal e que sua carta de alforria não valerá mais. Os escravos são trancados na senzala. Justo perde a razão. Mário avisa Juliana que Dimas está preso na senzala. Cândida diz que vai embora e que o marido devia colocar Maria das Dores em seu lugar. Sinhá Moça pede que o Barão reconheça Dimas. Ricardo confessa a Frei José que não acontece nada em seu casamento. Ana conta para os pais que a paixão entre ela e o marido se apagou. Manoel sai disposto a conversar com Fontes. Ana pede que a mãe o impeça.

Capítulo 175, terça 23 de julho

Ricardo confessa a Frei José que pensa na Baronesa quando chega a hora de consumar seu casamento. Fontes se assusta quando Manoel conta o problema de Ricardo. Ana pergunta a Nina o que fazer para o marido querê-la. Augusto e Juliana intercedem por Dimas junto ao Barão. Justo não reconhece nem Balbina. Sinhá Moça leva Juliana para ver Dimas. O Barão diz a Augusto que Dimas não sairá com vida da senzala. Dimas pede que Juliana tenha calma. Virgínia se preocupa com o sumiço de Bastião. O Barão diz a Augusto que jamais reconhecerá Dimas como seu filho. Cândida decide ficar até o neto nascer. O Barão abre o quarto do ouro e Bastião cai desmaiado em cima dele. Bastião diz ao Barão que descobriu a passagem por acaso. O Barão manda que ele entre no quarto de novo. Virgínia aparece e defende o filho. Cândida diz a Sinhá Moça que Rodolfo está correndo perigo morando na casa.

Capítulo 176, quarta 25 de julho

Juliana confessa a Frei José sua revolta contra o Barão. Dimas acha que não sairá vivo da senzala. Sinhá Moça e Rodolfo fazem as malas. Bastião confirma para Cândida e Virgínia que o Barão trancou-o pensando que era Rodolfo. Cândida avisa a filha que partirão de madrugada. Balbina e Justo procuram pelos filhos na senzala e são presos. Fulgêncio abraça Balbina. O Barão ameaça Cândida, caso ela o abandone. Bastião teme ser morto. Cândida avisa a filha que vai ficar.

O Barão irrompe no quarto. Rodolfo e Sinhá Moça contam que estão indo embora e ele pede que eles esperem o dia clarear. Rodolfo começa a duvidar que o Barão tenha pensado em matá-lo. O Barão expulsa Justo e Balbina da senzala e manda Dimas para o tronco. Fontes pressiona Ricardo e conta que Manoel já lhe disse tudo. O Barão chama Rodolfo para mostrar-lhe o ouro e diz que tudo é dele, pois é o marido da filha e pai do neto. O Barão pede que Rodolfo seja seu aliado e deixa com ele o encargo de descobrir como Bastião chegou ao ouro.

Capítulo 177, quinta 26 de julho

Rodolfo avisa Sinhá Moça que não vão mais embora. O Barão diz que Rodolfo entendeu que não tem nada a temer. Sinhá Moça e Cândida ficam surpresas quando Rodolfo afirma que o Barão só quer o bem de todos. Fontes diz a Frei José que se a notícia sobre Ricardo e Ana se espalhar ele terá que mudar de cidade. Rodolfo confessa a Sinhá Moça que mudou de ideia, pois teme o destino de Bastião. Rodolfo não consegue que Bastião conte como descobriu o ouro. O Barão diz a Cândida que Rodolfo mudou quando viu o ouro. Balbina pede a Justo que abra o quarto do ouro. Rodolfo pede desculpas antes de bater em Dimas. Juliana sente uma dor.

Dimas não nega ser filho do Barão como ele quer. Dimas pede que Rodolfo não fraqueje senão o Barão vai perceber que ele não é seu aliado. Balbina propõe levar o ouro para o túmulo dos pais do Barão. Sinhá Moça conta para Cândida que Rodolfo está só fingindo estar do lado do Barão. Ana diz a Ricardo que jamais será a Baronesa. Sinhá Moça dá força para o amor da mãe por Ricardo.

Capítulo 178, sexta 27 de julho

Sinhá Moça se revolta ao ver Dimas no tronco. Rodolfo e o Barão ameaçam Bastião. Balbina promete levar todo o ouro para o túmulo. Virgínia diz a Cândida que vai embora com o filho. Everaldo acha que o Barão não deve fomentar o ódio dos escravos. Rodolfo diz que não haverá uma segunda rebelião. Todos estranham o novo posicionamento de Rodolfo. O Barão diz que Dimas só sairá do tronco quando desmentir que é seu filho. Augusto chama Rodolfo de traidor e exige que o Barão solte Dimas, senão contará em seu jornal a história de seu pai. Viriato sugere que a tipografia seja queimada. Sinhá Moça decide não ter o filho na fazenda, pois tem certeza que será uma menina. Ricardo confessa para Inez que só queria libertar Ana do véu. Ana entende que Ricardo é seu amigo e jura à mãe que vai ajudá-lo. O Barão discute com Dimas quando ele insiste ser seu filho. Justo e Balbina colocam mais ouro no túmulo.

Capítulo 179, sábado 28 de julho

O Barão confere o que Justo carrega no saco e descobre somente pedras. Balbina acha que Justo foi inteligente ao levar pedras e trocar por ouro, para que ninguém desconfiasse. Rodolfo e Sinhá Moça pedem que Dimas negue ser filho do Barão, mas ele permanece irredutível. Augusto recebe uma carta de Maria das Dores. O delegado e o Frei imploram para que o Barão desista de fazer justiça com as mãos e ele os expulsa. Juliana dá força a Dimas. O Barão manda Rodolfo dar mais chibatadas em Dimas. Virgínia garante a Bastião que Rodolfo vai protegê-lo. Ana diz a Adelaide que não ama Ricardo. O Barão ouve Rodolfo planejar com Sinhá Moça tirar Bastião da fazenda. Eduardo volta à cidade, pede desculpas a Ana e jura que não vai mais fugir de Ricardo. Rodolfo manda que os empregados tirem Dimas do tronco.

Resumo Sinhá Moça: Capítulos de 29 a 03 de agosto

Capítulo 180, segunda 29 de julho

Sinhá Moça diz ao pai que Rodolfo tirou seu irmão do tronco porque ela pediu. Rodolfo revela que não matará Bastião e nem permitirá que o Barão o faça. O Barão ameaça-o e teme que ele leve seu ouro. Cândida diz a Sinhá Moça que ficará na fazenda. O Barão manda Bastião ir embora e Virgínia faz as malas para ir com ele. Cândida ouve o Barão dizer que vai tocar fogo na senzala com os escravos dentro. Virgínia e Bastião são presos na senzala. Cândida procura por Virgínia e o Barão diz que eles foram embora. Sinhá Moça tem certeza que ela não partiria sem se despedir. Bastião conta a todos os escravos onde está o ouro. O Barão diz que Rodolfo pode ir embora, mas Sinhá Moça não. Rodolfo deixa a chave da senzala com Sinhá Moça. O Barão enlouquece ao ver que seu ouro sumiu, e manda Rodolfo, Sinhá Moça e Cândida irem para a senzala.

Capítulo 181, terça 30 de julho

Justo e Balbina plantam flores amarelas em cima do túmulo. Balbina diz que sempre amou Justo. Sinhá Moça, Cândida e Rodolfo são empurrados para dentro da senzala. O Barão manda Bastião ser levado para o tronco. Ele quer saber quem levou o ouro. Cândida pede que Dimas não a chame nunca mais de Baronesa. Bastião resiste e não conta que foi Balbina que lhe revelou o segredo. Manoel gosta de saber que a máquina de beneficiamento está funcionando. Eduardo jura que jamais faltou o respeito com Ana e Manoel manda que ele fique longe dela. José Coutinho diz que Eduardo gosta de Ana. Ana confessa a Adelaide que não sente desejo por Ricardo. Fontes, Coutinho, Juliana, Everaldo, Frei José e Ricardo pedem ao Barão para soltar Dimas. O Barão manda-os embora e diz que todos que estão na senzala por serem suspeitos de terem levado o seu ouro. Eduardo e Ana se encontram na casa de José Coutinho. Sinhá Moça começa a sentir dores. Ana confessa a Nina que não deseja mais dormir com Ricardo.

Capítulo 182, quarta 31 de julho

Inez manda Ricardo tirar a Baronesa da cabeça. Adelaide conta para Eduardo que Ana não está feliz. Coutinho diz que todos festejaram a novidade sobre a máquina. Os capangas colocam Bastião na senzala. O Barão ameaça Bastião, caso ele não conte sobre o ouro. Frei José consola Juliana. Augusto acha que o Barão jamais perdoará o filho bastardo. Cândida acalma a filha e diz a Rodolfo que talvez a criança nasça antes do tempo. Sinhá Moça não quer que o pai saiba de nada e prefere que seu filho nasça na senzala. Balbina e Justo servem o jantar para o Barão. Virgínia assume o comando ao ver que Sinhá Moça vai ter o filho. Sinhá Moça aperta a mão de Rodolfo e passa-lhe a chave da senzala. O parto é demorado. Rodolfo ameaça se vingar do Barão caso algo aconteça com seu filho. Ricardo diz a Fontes que só pensa na Baronesa e não consegue consumar seu casamento. Balbina e Justo contam para o Barão que enterraram o ouro, mas não se lembram onde. O Barão ouve um choro de criança que vem da senzala.

Capítulo 183, quinta 01 de agosto

Sinhá Moça mostra a Rodolfo o filho. O Barão entra na senzala e Sinhá Moça diz que é uma menina. O pai acusa-a de ser tão imprestável quanto à mãe. Os escravos dominam e desarmam os capangas. Sinhá Moça diz ao pai que ele teve um neto e que é desejo dele que todos os escravos sejam alforriados. Ela vai para a casa com Cândida e o bebê e pede somente que não maltratem o Barão, que fica só com os escravos, Dimas e Rodolfo. Ricardo pede desculpas a Ana. Eduardo diz para Ana que voltou por sua causa. Frei José concilia Fontes e Manoel e desfaz o casamento. Cândida avisa a filha que Dimas está escrevendo as cartas de alforria. Rodolfo conta aos pais que seu filho nasceu na senzala. Eduardo pede para ser recebido na casa de Manoel para que possa pedir a mão de Ana.

Maria das Dores chega em Araruna. Sinhá Moça se surpreende ao ver a carta de alforria de Dimas e ele conta que falsificou as anteriores. Maria das Dores se horroriza ao saber que o filho estava preso. Dimas ameaça o Barão caso ele não assine as cartas. Cândida e Sinhá Moça pedem que ele assine. Ao ver a carta de alforria do filho, ele garante assinar todas menos a dele. Dimas manda que ele assine senão nunca mais verá seu ouro. O Barão começa a assinar, mas rasga a carta de Dimas. O Barão é levado de volta para a senzala e faz ameaças.

Capítulo 184, sexta 02 de agosto

Cândida diz a Frei José que o Barão está preso na senzala. Rodolfo complementa que o Barão está louco. O Barão assiste aos preparativos da festa dos negros e grita que serão queimados na fogueira, assustando a todos. Ana pede uma prova de amor de Eduardo. Eduardo pede a mão de Ana. Manoel sugere que eles assinem um contrato. Fontes redige o contrato de casamento e Ricardo é testemunha. Balbina e Justo observam o Barão. Augusto recebe a notícia que foi assinada a Abolição. Os sinos da cidade tocam. Sinhá Moça distribui as cartas de alforria. Muitos comemoram na cidade. Os fazendeiros escravagistas chegam à fazenda do Barão e mandam que o Barão seja libertado. O Barão ordena que Frei José vá para o tronco e exige que alguém conte onde está o ouro. Maria das Dores grita que Dimas é seu filho. Augusto manda que todos abaixem as armas porque a Abolição foi assinada. Dimas abraça a mãe. Todos festejam. Sinhá Moça e Cândida soltam Frei José. Virgínia se surpreende ao saber que Maria das Dores voltou.

ÚLTIMO CAPÍTULO:

Capítulo 185, sábado 03 de agosto

Augusto manda que todos abaixem as armas porque a abolição foi assinada. Das Dores diz ao Barão que seria uma vergonha para Dimas ser reconhecido como seu filho. Justo e Balbina dizem ao Barão que o ouro está enterrado na senzala. Cândida não sabe como agir com Ferreira. Dimas diz a Ricardo que o Barão pode estar correndo perigo. Fulgêncio, Justo, Bastião e Balbina trancam o Barão na senzala e ateiam fogo nela. Dimas chega a tempo e o salva das chamas. Bastião decide ir embora da fazenda com Fulgêncio, Justo e Balbina. Ferreira se arrepende dos erros que cometeu e pede para Dimas chamá-lo de pai. Dimas resiste, mas o chama de pai e lhe abraça.

O Barão, emocionado, morre em seus braços. Frei José cuida das orações no enterro do Barão. Os alegres imigrantes italianos chegam à Araruna. Sinhá Moça diz a Cândida que Rodolfo vai retomar sua carreira política na capital da Província. Rodolfo completa afirmando que, quando a saudade apertar, darão um jeito de se encontrar. Nina e Ana conversam, felizes e… grávidas! Dimas descobre que Juliana está esperando um filho seu e quase morre de felicidade. Rodolfo se despede dos seus pais e segue para a capital da Província. Ricardo se encontra com a Baronesa na fazenda e declara seu amor por ela. Cândida, carinhosa, pede apenas um pouco mais de tempo para que possa se acostumar com a ideia. Sinhá Moça recebe os italianos que vão trabalhar na fazenda com segurança e determinação. Os negros seguem seu próprio caminho, livres, senhores do seu destino. Fim.

* Obs: O resumo dos capítulos podem sofrer alterações de acordo com a edição feita pelo VIVA

Conheça a história de Sinhá Moça:

Divulgação

Monarquistas e republicanos se defrontam em Araruna, pequena cidade fictícia do interior de São Paulo, em 1886. Sinhá Moça (Débora Falabella) é filha do poderoso Coronel Ferreira (Osmar Prado) com Cândida (Patrícia Pillar). Em uma viagem de trem, ela conhece e se apaixona pelo advogado Rodolfo (Danton Mello), um rapaz que, assim como ela, tem ideias abolicionistas. Juntos a outros jovens, eles lutam pelo fim da escravidão, indo contra o escravocrata Coronel Ferreira. A novela começa com Sinhá Moça aos dez anos de idade. Ela está junto de Rafael, um escravo mestiço de olhos verdes e seu grande amigo de infância. Eles testemunham a morte de um escravo idoso, chamado Pai José, bisavô de Rafael e avô de sua mãe Maria das Dores. Pai José é chicoteado no tronco pelo feitor Bruno, a mando do Barão de Araruna. Mesmo criança, Sinhá Moça já enfrenta o pai e, com a ajuda de Rafael, com doze anos, desamarram Pai José, que morre nos braços das duas crianças. Essas intervenções vão se repetir durante várias entrelaçadas tramas pela frente.

Abertura de Sinhá Moça:

Compartilhar: